As inovações dos PDVs para os Millennials

Um dos assuntos de maior evidência na NRF 2016 foi essa nova geração de consumidores, conhecida como Geração Y ou Millennials. Pessoas nascidas entre 1980 e 2000, que cresceram no mundo digital, conectadas, com ampla possibilidade de expressão, compartilhamento, troca de impressões e comunicação em tempo real.
São criadores e consumidores de conteúdo e sobretudo, de experiências. Um bom jantar, uma viagem incrível ou um show histórico são mais importantes do que aquele jeans que um dia foi desejado, mas já esquecido. O “gol” acontece quando esses jovens são surpreendidos e impactados: lá estarão eles compartilhando sua experiência com seus amigos, sua comunidade, seus seguidores.
Se a experiência vale mais do que a posse, como preparar o ponto de venda para receber esse público com hábitos tão diferentes do que até então conhecíamos?
Não é tão difícil quanto parece. Segundo a revista Mercado e Consumo, da GS&MD, as grandes tendências de inovação no ponto de venda que podem roubar a atenção dos sempre conectados Millennials são:

1 – A marca deve contar uma história no PDV:
A loja This is St[ ]ry é um grande exemplo. A cada 8 semanas o pdv é totalmente reconfigurado com nova cenografia e novos produtos, sempre seguindo um tema, como em uma revista.

2 – Marcas consagradas devem evidenciar sua herança:
A geração Y tem interesse pelo passado e o resgate da herança das grandes marcas. A marca RRL, da Ralph Lauren, é um bom exemplo. Seu ambiente nos transporta para um passado rico em detalhes e memorabília.

3 – Produtos devem ter “pegada artesanal”:
A Mast Brothers, em NYC, é uma das sensações: chocolates artesanais e derivados, vendidos em embalagens Artsy, estão atraindo multidões de fãs da cultura hipster.

4 – A personalização veio para ficar:
Marcas se reinventam para conquistar os exigentes Millennials. A personalização é uma das grandes tendências, com grandes chances de ser um caminho sem volta. A Levi´s traz como novidade a customização de suas calças em impressoras 3D e t-shirts serigrafadas.

Fontes: Site O negócio do varejo / Revista Mercado e Consumo

Compartilhar